Pai também não resistiu ao filho safadinho.

09/07/2013 22:27

     Ola a todos sou eu o Thiago e conforme havia dito no conto “Não resisti ao meu irmãozinho safadinho.” Voltei para contar como meu Yago fez para meu pai comer seu cuzinho. Bom como disse meu pai estava sempre viajando, pois era motorista de caminhão, já tinha uns 35 dias que nosso pai não vinha em casa devido a alguns problemas na estrada, trechos interrompidos e uma nova regulamentação de horário de trafegação de veículos pesados enfim, quando Yago ouviu a buzina do caminhão desceu as escadas feito um raio nem esperou meu pai abrir a porta, os dois já entraram abraçados, logo meu irmão notou algo diferente em nosso pai ele tinha raspado o peito, notou pois o safado já tinha enfiado a mão dentro da camisa já meio aberta, questionou meu pai que disse que resolveu mudar fazer uma surpresa para nossa mãe que nesta noite não tinha ido para o hospital, ela era enfermeira, meu pai havia ligado para ela e pedido segredo.

   Como de costume fui anulado por Yago, agora ele só tinha olhos para meu pai, queria ouvir cada detalhe da viagem, o que tinha feito onde tinha ido e feito com coisa que ele já não sabia, pois vivia conectado pelas redes sociais com meu pai. Aproveitei e sai para a casa da minha namorada na época as escondidas. Quando voltei já tarde Yago já estava dormindo, tentei dormir, mas não consegui estava sem sono e acabei por ouvir a foda dos meus pais, meu pai estava mesmo precisando paravam um pouco e logo voltavam foi praticamente a noite toda uma pausa e depois voltavam a transar e eu na maior insônia.

   No outro dia quando cheguei em casa e fui esnobado por meu irmão novamente resolvi sair e daqui por diante quem me contou o que aconteceu na minha ausência foi Yago. Meu irmão chegou em casa e meu pai estava com suas pernas abertas no sofá sem camisa, Yago chegou e por traz deu um beijo no rosto do nosso pai pertinho da boca e o abraçou, e alisando seu peito disse que ainda não estava conformado daquela atitude de raspar o peito, meu pai disse para ele largar de bobeira e vir sentar com ele, mas Yago subiu para se trocar, voltou apenas com um calção antigo que já estava bem curto e apertado, de propósito é claro, o que não foi despercebido pelo nosso pai que perguntou ironicamente se aquele shorte era de alguma das namoradas dele, Yago caiu na gargalhada e disse que não que era dele mesmo, que tinha ficado curto mas que ele o achava muito confortável  e para provocar meu pai disse que era bom pois alem de marcar bem o volume na frente ainda deixava ele com o maior bundão, e ainda mostrou bem debochado a bunda para meu pai que deu um tapa de brincadeira em sua bunda. Meu pai e Yago eram sempre assim pareciam dois moleques juntos um mais palhacento que o outro.

   Quando minha mãe saiu para seu plantão Yago foi junto e voltou com cerveja, não trouxe muitas sabia que não embebedaria meu pai com aquela quantidade mas a intenção era apenas deixa lo mais solto e enquanto iam assistindo a um filme na tv, Yago ia conduzindo uma conversa mais safada que a outra, sempre alisando, tocando e pegando em meu pai, logo já estavam um jogando almofada no outro, brincando de luta e fazendo cócegas um no outro, nem pareciam pai e filho. A conversa, a cerveja e o contato logo deram o resultado esperado  meu pai e Yago excitados, meu pai já suado pela bagunça disse que ia tomar banho e claro que Yago disse que ia junto, meu pai encheu o filho de elogios o que deixou Yago ainda mais safado e feliz, ele estava super orgulhoso com seu peito pois já estava todo peludo como sempre quis. Yago disse que para deixar meu pai mais excitado ainda ensaboou e ficou passando a mão no peito do nosso pai dizendo que já estava começando a gostar daquele novo estilo, virou de costas e pediu para meu pai ensaboar suas costas, meu pai já bem excitado o fez e safado como o filho passou a mão na bunda de Yago e disse:

_ Que rabão em filhão, tu cresceu mesmo da orgulho pro seu pai ver um homão deste!

_ Não entendi pai, dou orgulho por ter virado um homão ou por ter um rabão? Perguntou Yago rindo.

_ Há seu safado você entendeu, lógico que você ter virado esse homão bonito e saudável, mas esse rabão também me da orgulho ora puchou sua mãe, nem parece aquela bundinha que lavava quando era pequeno.

_ Ue da um confere é a mesma só deu uma crescidinha

  Meu pai voltou a ensaboar a bunda de Yago ate que largou a bucha e ficou passando só a mão.

_ E então não esta igual?

_ Mas ta safado demais este meu filho, nisso puxou ao pai, to ate achando que sei o que ta querendo.

_ Então vai fazer o que seu filho quer?

 Meu pai então agaixou abriu a bunda de Yago e enfiou a língua meu irmão se inclinou para facilitar a penetração e gemia de prazer e dizia

_ Vai paizão, não sabe o quanto eu sonhei por este dia!

_ Chegou a realidade agora safado sente meus dedos nesse rabo!

   Nosso pai linguava e enfiava seu dedos em Yago tirando gemidos de prazer do meu irmão ate que ele pediu

_ Vai pai me come logo caralho!

   Nosso pai levou Yago para a seu quarto pegou em sua mala um lubrificante, deu mais uma laciada do rabão de Yago agora com o lubrificante e cravou sua tora na bunda do filho, enfiou de uma vez tudo e segurou meu irmão que deu um grito, meu pai esperou um pouco e começou a mecher ate que realmente iniciou um vai e vem em meu irmãozinho o satisfazendo de um desejo antigo. Meu pai colocou meu irmão de frango assado e metia queira ver a cara de prazer do filho engolindo sua rola com o cu, meu pai apertava os mamilos de Yago que ria, jogava beijo e gemia para meu pai que gozou em seu cu. Yago desceu e fez uma vitamina de banana para os dois e esperou meu pai estar pronto para outra foda.

    Quando meu pai ficou novamente com seu pau duro Yago caiu de boca mamando feito um bezerro novo, lambias as bolas e viria do meu pai, depois cavalgou em nosso pai posição que ele mais gostava comigo porem meu pai o queria de quatro e foi para satisfazer meu pai Yago ajoelhou no chão e se apoiou na cama meu pai segurando em seus cabelos mesmo curtos metia sem do ate gozar novamente no cu do próprio filho.

    Quando cheguei em casa ainda escutei os gemidos de Yago, meu pai quando desceu para beber água ficou meio sem graça mas disse que tinha acabado de chegar, realmente acreditou que eu não tinha escutado nada e ficamos assim, por um bom tempo, eu comia Yago quando meu pai estava viajando e meu pai quando estava em casa. Depois que casei devido a safadeza de meu irmão ainda o como, mas não é tão freqüente, meu pai não sabe de mim e de Yago ou pelo menos finge não saber, nunca tocou no assunto e Yago por mais que algumas vezes tenha pensado em fazer algo nos três sempre desistiu. O safado continua trocando de macho como troca de camisa apesar de que neste ultimo ano ter encontrado um cara que o balançou mais que os outros, é bem seu estilo, cara de macho, voz grossa, peito peludo, forte, os dois estão em uma relação aberta como Yago diz quem sabe agora ele aqueta aquele fogo kkkkk.

 

Autor: Mrpr2

Deixe seu comentario

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário