Consolado e acalmado pelo padrinho.

Consolado e acalmado pelo padrinho.

Oi, tudo bom com vocês? Meu nome é Diego tenho 22 anos e vou como foi minha primeira vez com um homem aos 18 anos, espero que gostem.

Cheguei transtornado na casa de meu padrinho Jorge, estava furioso. Nem toquei a campanhia fui logo entrando e batendo as portas como um furacão

_ Diego o que foi? O que esta acontecendo? _Perguntou Jorge

_ Aquela vadia, vagabunda, Jorge! _Gritei!

_ Quem é essa Diego?

_ Aquela piranha da minha namorada, EX-namorada

_ Calma Diego, senta ai e me conta o que esta acontecendo.

_ Não quero sentar Jorge _ E andando de um lado para o outro, gesticulando e gritando, contei o que aconteceu _ Aquela safada me apunhalou pelas costas padrinho, ontem foi o aniversario da melhor amiga dela e como eu iria trabalhar ate mais tarde, disse que ela poderia ir a festa sem mim e não haveria problemas caso conseguisse dava uma passada por lá, mas quando cheguei a festa ela já tinha ido embora e a amiga dela disse que ela estava passando mal, mas a bandida estava era me traindo trepando com o ex namorado dela que tinha ido ao aniversario também. Ela ficou um mês inteiro fazendo doce comigo, eu aqui no maior tezão esperando ela estar ”pronta”, tentando ser um cara legal, compreensivo, diferente dos que ela era acostumada, para quê? Pagar de otário?

Estava suando, chegava a tremer de raiva, meu padrinho se aproximou me parou pois ainda andava para lá e para cá, me deu um abraço forte e disse em meu ouvido coma calma que sempre manteve:

_ Meu garoto, vem aqui, já passou esquece isso ela não te merecia, vem cá deita aqui comigo como agente fazia quando você era pequeno, pra você relaxar.

Puxando em minha mão se dirigiu para o sofá, mas eu parei e quis soltar de sua mão, mas ele a segurou olhou para trás e disse:

_ O que foi esta com vergonha de mim agora ou esta com raiva de mim também?

_ Não, não é nada disso é que ... eu não sei... já estou grande para isso, é meio estranho.

_ Deixe de bobagens Diego, Você esta precisando se acalmar, não há nada de errado nisso vem você vai se sentir melhor, vou colocar uma musica para gente se acalmar, ficarmos mais tranqüilos e você colocara seus pensamentos em ordem, certo?

_ Tudo bem padrinho o senhor e quem sabe, já estou ate mais calmo só de ouvir o senhor falar assim sabia que tinha vindo ao lugar certo!

Meu Padrinho Jorge colocou uma musica bem baixinho e se deitou no sofá. Estava sem camisa deixando amostra seu peito largo e cheio de pelos lisos, que desciam e sumiam em seu calção largo e fino, que deixava bem a vontade suas coxas grossas também peludas, devido a largura das pernas do calção. Deitei em meio a suas pernas me aconchegando em seu peito, meu padrinho deu um beijo em minha cabeça e disse colocando a mão em meu peito:

_ Se acalme, pense bem existem muitas outras pessoas no mundo, se ela não teve respeito com você esqueça-a, você é um rapaz jovem, bonito, super interessante e provavelmente deve ter uma fila de garotas atrás de você.

_ Que isso padrinho, assim o senhor me deixa ate encabulado.

_ Estou falando serio Diego, você é tudo isso e mais.

Escutando isso senti um volume aumentando vindo do meu Padrinho, ele estava ficando excitado e mais incrível era que eu também estava a fúria e a raiva tinham ido embora deixando um sentimento diferente, o cheiro de Jorge, o calor de seu peito, as cócegas que seus pelos faziam em meu corpo e a leve caricia em meu peito me deixava arrepiado, meu coração estava acelerado agora não mais pela raiva mas pelo tezão que a situação estava me proporcionando. Decidi levantar e meu padrinho segurando em minha mão disse:

_ Aonde você vai, não esta gostando de ficar aqui comigo? Esta tão bom.

_ Acho melhor eu ir, já estou melhor.

_ Creio que ainda não terminei com você, parece que ainda precisa de mim.

Disse isso olhando para meu pau em riste. Desconcertado fiquei vermelho na hora e tentei encobrir o volume com uma das mãos.

_ Relaxa vem, esta tudo bem, você vai gostar.

Falando isso se levantou, colocou as mãos em meu rosto e me deu um beijo de um lado, do outro, em minha testa, me olhou nos olhos e vendo que não esboçava resistência desceu beijando meu pescoço, meu peito lisinho, chupou um mamilo, me arrancado suspiros, passou para o outro, levantou meus braços e passou a língua em minhas axilas também lisas, raspadas, nossa que sensação maravilhosa repetiu a mesma ação na outra. Parou olhou novamente para mim e perguntou _ Posso continuar? _ Apenas balancei a cabeça afirmativamente.

Meu padrinho se abaixou desceu meu calção e abocanhou meu cacete duro, colocando inteiro na boca e tirou deslizando seus lábios em minha carne firme e cheia de veias, me arrepiando todo. Intensificou um delicioso e vigoroso boquete acompanhado com uma deliciosa caricia em meu saco também sem pelo algum. Como estava a algum tempo sem transar não agüentei por muito tempo, sentindo que meu gozo viria tentei retirar meu pau da boca de meu padrinho, mas ele me impediu e me puxou enfiando ainda mais minha rola em sua boca aumentado a velocidade dos movimentos onde acabei explodindo inundando a boca de meu padrinho com meu esperma. Jorge engoliu todo meu liquido acumulado, se levantou e me trouxe de encontro a um delicioso e intenso beijo sentindo o sabor da boca de meu padrinho misturado ao gosto de minha propia porra. Sorriu me deu um abraço apertado e pela mão me levou ao quarto mamou mamou mais uma vez em meu pau deixando mais duro e babado, ficou de quatro na beira da cama empinou a bunda para meu lado e pediu:

_ Vem Diego e mete seu caralho em meu cu bem gostoso, crava fundo meu garoto.

Eu que já estava louco para fuder alguém, dei uma cuspida em meu cacete, separei as nádegas de Jorge deixando bem a mostra seu buraco lubrifiquei com minha saliva e enfiei, meti tudo de uma só vez retirando um urro de dor e prazer de meu padrinho, comecei a bombar, socava fundo, tirava e voltava enquanto meu padrinho gritava:

_ Isso moleque mete, libera essa fúria, mata essa vontade de fuder que você estava, crava fundo esta estaca em meu rabo.

Com movimentos constantes e cada vez mais rápidos socava naquele cuzão quente, úmido e gostoso segurando na cintura de meu padrinho enquanto ele se masturbava e urrava, sentia meu suor escorrendo em minhas costas e peito meu padrinho já brilhava o cheiro de macho e sexo tomava o quarto me deixando ainda mais alucinado. Jorge começou a se contrair gozando as contrações de seu cu em meu pau me fizeram explodir em um gozo de intensidade que nunca havia sentido antes, caímos um ao lado do outro na cama molhados de suor sorrindo e abraçados.

Ficamos um tempo na cama entrelaçados, depois tomamos um banho juntos onde beijos, chupadas e caricias foram trocadas e fui embora, antes porem, meu padrinho Jorge me chamou e sentados no sofá da sala disse que o que tinha acontecido entre agente seria um segredo que nunca deveria ser revelado, que tinha sido ótimo delicioso, mas que não voltaria a se repetir me deu um abraço e parti.

O tempo passou e meu relacionamento com meu padrinho continuou ainda mais forte, sempre lhe pedia conselhos, ajuda, conversávamos sobre tudo menos sobre o que acontecera, vez ou outra o pegava me olhando com desejo mais nada dizia ou fazia ate um dia em que não resistimos e transamos novamente.

 

Gostaram do meu conto, que sentimentos ele lhes trouxe, gozaram muito? Contem-me, comentem. Uma chupada bem gostosa nessas picas duras e esporradas.

 

Autor: Mrpr2

Deixe seu comentario

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário