Pai safado, Filho mais safado ainda.

Pai safado, Filho mais safado ainda.

Ola meu nome é Brendon tenho 20 anos cabelos castanhos curtos, branco magro sou bem caseiro curto jogar no PC assistir a filmes creio que puxei isso do meu pai um homem de 39 anos branco corpo normal.

Vou contar o que descobri a pouco tempo que me deixou surpreso mas ao mesmo tempo feliz pois me aproximou ainda mais do meu pai. Meu pai trabalha de segurança 12 por 24 o que faz com que trabalhe um dia sim outro não eu trabalho horário comercial e minha mãe trabalha das 13 hs as 21 hs meu pai sempre teve muitos amigos estava sempre jogando seu futebol indo pescar e sempre em sua folga quando eu chegava tinha um amigo dele em casa saindo ou acabado de sair lembro que minha mãe implicava um pouco com tantas amizades e saídas mas com o tempo se acostumou e agora não reclama mais.

Minhas férias chegaram e meu pai já a uma semana me perguntando se eu viajaria o que respondia que desta vez não, estava solteiro e queria descansar meu pai insistia dizendo que era minha oportunidade de curtir, ficar bastante, conhecer os prazeres da vida eu disse que também estava sem dinheiro o que dificultaria, mas seria uma oportunidade de ficar um tempo a mais com ele e destruí lo nos games. Sempre que chegava um amigo do meu pai eu conversava um pouco e depois ia para o quarto enquanto eles ficavam conversando e as vezes bebendo cerveja. Desci para beber água e não ouvi as gargalhadas e conversas que as vezes parecia briga principalmente quando tinha mais de um cara estava tudo quieto achei estranho pois meu pai não me avisou que ia sair. Depois de beber agua decido verificar na varanda apesar do silêncio, nada já estava voltando para meu quarto quando escuto um barulho de algo caindo paro e percebo uns gemidos abafados baixos estranho e sigo o som que vem de um cômodo feito no fundo para guardar objetos de uso não frequente e ferramentas. Me aproximo e olho pela fresta da janela e vejo algo que nunca imaginei meu pai de quatro com Carlos seu melhor amigo e maior frequentador lá de casa. Tampo minha boca para não fazer barulho não sei o que acontece comigo, mas fico sem reação e não consigo sair dali parar de ver aquela cena. Carlos segurando a cintura de meu pai e movimentando seus quadris de encontro com a bunda de meu pai com estocadas fortes que dava para escutar o barulho do encontro dos corpos dos dois meu pai com a camisa na boca gemia. Tudo aquilo era uma mistura de sentimentos e pensamentos que minha cabeça estava confusa, mas a cabeça de baixo ficou alerta. Meu pau foi ficando duro, um calor subindo pelo meu corpo que apos um tempo pegando em meu pau por cima da bermuda tirei para fora e passei a bater uma punheta.

Carlos tirou o pau do cu do meu pai e gozou em seu peito, meu pai deitou de costas no chão abriu as pernas e Carlos enfiou dois dedos em seu cu e bateu punheta ate meu pai gozar aquilo foi tão excitante que coloquei um dedo em meu cu e gozei batendo uma punheta e antes que eles saíssem corri para meu quarto. A partir daquele momento passei a olhar meu pai com

outros olhos. Na próxima folga de meu pai planejei tudo desde cedo a ideia seria provoca lo para ver se algo acontecia. Para minha sorte minha mãe saiu mais cedo iria resolver varias coisas no centro e iria direto para o trabalho acordei tarde já eram 10 hs ela já havia saído nem coloquei roupa foi tomar café só de cueca. Chegando na cozinha dei aquela espreguiçada terminando com uma gostosa cocada no saco.

_ Bom dia pai! Calor hem?

_ Bom dia, Nossa demais, ta fortinho hem? Ho meus 20 anos que não voltam kkk.

_ Que isso pai o sr. Ta inteirão deve atiçar muito tezão por ai.

_ Que isso moleque!

Meu pai foi para a sala rindo e fui tomar café depois fui para sala e ficamos jogando game ate o almoço comemos e cada um se jogou em um sofá eu todo largadão com as pernas arreganhadas.

_ Não vai por uma roupa não pela peladão?

_ Não, esta muito calor além disso estou de cueca não estou pelado, porque ta com vergonha de mim?

_ kkkk não, mas o Carlos logo chega vai recebe lo assim?

_ acho que ele não vai se incomodar ta muito calor, qualquer coisa me troco.

_ por mim pode ficar ate pelado, porque também estou cozinhando de calor.

Diz Carlos já entrando na sala apertando a mão do meu pai e já tirando a camisa.

_ E ai Carlão como vai anteontem você foi embora nem te vi.

_ Você estava no quarto não quis incomodar e ai o que estão fazendo?

_ Vamos assistir um filme vou lá pegar.

_ Volto e coloco o filme meu pai e Carlos bebendo, cada um com sua latinha de bermuda sem camisa eu sentado com as pernas abertas no carpete volta e meia brincava com meu prepúcio por cima da cueca o safado de Carlos ficava com a mão entre as pernas e sempre dava uma cocada de rabo de olho acompanhava meu pai que mais secava nossos corpos que assistia o filme.

Depois de beber mais uma cerveja Carlos diz que vai me acompanhar e tira o short ficando só de cueca aquilo é que é macho com aquele peitoral todo peludo aquelas coxas groças também

peludas meu pai disse que iria trancar o portão. Voltou e tirou o calção mas desceu um pouco da cueca junto mostrando sua bunda para Carlos que deu um tapa na bunda dele.

_ O bundão gostoso! Isso e que e um rabão de macho, você puxou a seu pai e também tem um bundão assim Brendon? Vira ai para eu ver RS RS RS

_ Po cara já ta bêbado com duas latinhas ou é o calor? Me respeita e o meu filho Carlos.

_ Ate tenho Carlos mas creio que você ta precisando mais é de uma mangueirada para apagar esse seu fogo!

Disse de pe pegando no meu pau já duro por cima da cueca e balançando para Carlos.

_ Que isso Brendon? Que safadeza é essa gente?

Carlos se aproximou de mim com a cara mais lerda do mundo e encheu sua mãozona grande apalpando meu pau por cima da cueca.

_ olha o garotão cresceu mesmo! Sabe quanto mede?

_ Esta com 17 cm.

_ Hum bom tamanho.

Depois de alguns segundos massageando meu pau por cima da cueca e me olhando fixamente dentro dos meus olhos Carlos enfiou a mão dentro da minha cueca com a outra mão em minhas costas me puxou para junto dele e me beijou intensamente. Foi meu primeiro beijo em outro homem, foi intenso com sua grande língua entrando e vasculhando minha boca, Carlos foi descendo a mão que estava em minhas costas e apalpou minha bunda dando leves apertos enquanto que com a outra masturbava meu pau.

_ Nossa Luiz como teu filho é gostoso e é dos nossos bem safado!

Meu pai olhava para nos com cara de espanto então Carlos aproximou dele, mas meu pai pos a mão na frente e disse não então eu disse para ele relaxar pois eu já sabia do segredinho dele, pois eu o tinha visto trepando com o Carlos. Meu pai ficou branco, depois vermelho Carlos buscou água enquanto eu conversava com meu pai.

Tudo esclarecido meu pai pediu para que eu não contasse nada a minha mãe que ele a amava, mas era bissexual e também sentia atração por homens eu disse que não contaria com uma condição eu nunca tinha ficado com homem apenas com mulheres, mas desde que eu os vi transando aquilo não saia da minha cabeça, passei a ver vídeos gay e bater punheta me imaginando dando e comendo outro macho e queria que os dois me iniciassem para eu ver se

era bi ou apenas curiosidade. Meu pai relutou um pouco mas foi convencido por mim, Carlos e seu tesão.

Carlos disse:

_ Eu topo! Sabe que isso não vai sair daqui ne?

Me puxou e me deu meu primeiro beijo de macho. Sua língua invadia minha boca e alternávamos em um chupar a língua e os lábios um do outro enquanto nossas mãos exploravam o corpo um do outro. Carlos procurou minha bunda colocando as duas mãos dentro de minha cueca massageando e dando leves apertadas em minhas nádegas. Eu como um espelho fazia o mesmo enquanto meu pai nos observava. Carlos para fazer meu pai entrar na brincadeira disse que o maior chupador de todos iria me mostrar como fazer um boquete em um macho, Carlos sentou no sofá abriu as pernas e chamou meu pai que meio envergonhado ainda, foi ajoelhou no chão entre as pernas de Carlos e abocanhou seu caralhão. Meu pai colocava todo o cacete de Carlos na boca tirava e colocava rápido na boca, chupava aquela enorme chapeleta da cabeça como se fosse um picolé, então Carlos me puxou e disse que queria ver se eu havia puxado meu pai na arte do boquete. Tomei o lugar de meu pai entre as pernas de Carlos e iniciei era algo novo diferente de tudo o que eu já tinha provado a textura macia e firme quente e um gosto meio salgado tentava fazer os mesmos movimentos que meu pai tinha feito com as mãos, boca e cabeça, logo Carlos gemia e afagava meus cabelos dizendo que eu tinha nascido para aquilo. Eu me enchi de orgulho e caprichei ainda mais. Carlos trazendo meu pai com a mão em sua nuca fez com que nos dois chupássemos seu pau, revezamos entre a cabeça, o cabo e as bolas. As vezes nossos lábios se encontravam até que em uma destas vezes meu pai me beijou. Foi diferente do beijo de Carlos, também intenso, mas tinha algo mais um carinho.

Carlos disse que eu tinha passado com louvor agora seria a próxima matéria e eu poderia escolher, resolvi que queria dar, pois tiraria a duvida da cabeça além de já aprender algumas dicas para quando eu fosse meter.

Carlos me mandou ficar de quatro abriu minha bunda e passou a lamber meu cu e a deda lo alternando com meu pai eu gemia sentindo um prazer nunca experimentado antes ate que Carlos disse que tinha chegado a hora mas quem me desencabaçaria seria meu pai. Meu pai me deu seu pau para eu mamar e depois de deixa lo bem duro ele começou a passa lo na entrada do meu cu fazendo pressão ate entrar aos poucos foi um pouco desconfortável no começo, mas não chegou a doer logo meu pai foi aumentando a velocidade bombando e me perguntando se estava doendo, se eu estava gostando queria que parasse, eu já pedia para ele não parar e socar mais. Meu pai com uma perna dobrada no sofá e a outra no chão as mãos em minha cintura me puxando de encontro ao seu. Carlos veio para minha frente e me colocando

para chupar. Sentia o suor frio escorrer pelo meu corpo quente, o membro de meu pai me invadir e seu corpo bater no meu me enchia de tesão aquele clima o sabor do cacete de Carlos, meu pai me penetrando segurando em minha cintura o cheiro de macho e sexo espalhado pela sala. Meu pai estremeceu, seu pau inchou ainda mais dentro de mim e explodiu me enchendo o cu de porra não aguentei e gozei sem tocar em meu pau.

_ Agora é minha vez!

Disse Carlos.

Primeiro fomos beber água e dei um beijo em meu pai dizendo que foi ótimo. Carlos pediu para que eu sentasse em seu pau. Carlos sentado no sofá passou mais lubrificante em meu cu e eu de costas fui tentando engolir seu cacetão. Apesar de já aberto pelo meu pai o cacete de Carlos era mais grosso doeu chegou a sair lágrimas dos meus olhos. Ate que consegui entrou tudo me encostei no peito peludo de Carlos relaxando do esforço que por sua vez alisava meu peito apertava meus mamilos e mordia minha orelha. Carlos pediu para eu me erguer um pouco ficou segurando minha bunda por baixo e iniciou a meteção meu pai veio e começou a mamar meu pau. Após um tempo eu controlei a meteção subindo e descendo no mastro de Carlos sentia cada centímetro sendo engolido por meu cu de frente para Carlos beijando aquele macho safado. Carlos gozou de camisinha em meu cu e me bateu uma punheta com seu cacete ainda atolado em mim o que me fez espirrar em seu peito peludo. Para coroar meu dia chegou a hora esperada desde que eu vi meu pai dando para Carlos, meu pai de quatro no chão com seu bundão empinado para mim sendo aberto por suas mãos lubrifiquei meu pau e cravei em meu pai. Delícia de cusão quente úmido. Segurei em sua cintura e meti sem do meu pai gemia pedindo mais e mais. Meu pai virou de costas para o chão coloquei suas pernas em meus ombros e mandei ver no cu do meu pai que gostava que eu metesse forte. Carlos colocou seu bundão para meu pai enfiar a língua em seu cu e Lamber seu saco. Aqueles gemidos graves de macho me davam mais tesão me fazendo meter mais rápido. Não aguentei e gozei enchi o cu de meu pai de porra e continuei com meu pau dentro Carlos punhetou meu pai que gozou apertando meu pau com o cu nossa aquilo era transa.

O segredo do meu pai agora também era meu passamos o resto das férias metendo muito, conheci outros amigos do meu pai e já combinamos um fim de semana na chácara será uma suruba de machos cheios de tesão. Assim que rolar volto para contar. E ai alguém ai já teve ou gostaria de ter uma experiência como esta?

 

Autor: Mrpr2

Deixe seu comentario

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário