Surubão Ítalo, Diogo Papai Mauricio e eu.

Surubão Ítalo, Diogo Papai Mauricio e eu.

Ola galera sou eu o Dinho, vou continuar minha historia e hoje vou contar como Ítalo entrou na brincadeira foi assim...

  Como marcado Diogo fui a sua casa para irmos a um jogo de futebol, eu ele e Ítalo seu filho. Chegando la bati a campanhia e quem me atendeu foi Diogo so com um short de jogador de futebol exibindo seu peito peludo, já fiquei assanhado mas me recompus, ele apenas me cumprimentou e me convidou a entrar e gritou Ítalo. Quando entrei Diogo me agarrou por traz a pos fechar a porta e me encochou gostoso me fazendo sentir seu peito quente e seu cacete duro em minha bunda, me deu um beijo em minha nuca e me largou. Ítalo desceu me cumprimentou nos apresentamos e fomos ao jogo.

   Ítalo jogava bem, apesar de parecer meio nervoso, estava fominha e pouco tocava a bola para os companheiros de time eu era do time contra, ele entrava duro, marcação homem a homem, fez algumas faltas e entradas bruscas. No final do jogo no vestiário da quadra pediu desculpas disse que tinha brigado com a namorada e estava nervoso. Achei que seria uma oportunidade e puxei assuntos variados o que me deu oportunidade de ver seu corpo nu sem levantar suspeitas enquanto ele tomava banho. Colocou o short sem cueca e ficamos conversando os dois sem camisa. Quando percebi so estávamos nos dois no vestiário, resolvi atacar desviando o assunto para o sexo, foi ficando cada vez mais quente e Ítalo ficou excitado, comece a falar algumas coisas sobre sexo, homens, incesto e sempre tocando Ítalo que olhava as vezes para minha mão tocando seu corpo mas não falava nada, sorria discretamente. Comecei a elogia-lo sobre seu físico definido sobre seu peito já peludo, Ítalo me olhou fundo nos olhos me deu um sorriso eu perguntei o que foi e ele me disse nada, seu pai Diogo nos interrompeu chamando para irmos embora.

   Chegamos e Diego me chamou para um lanche Ítalo não parava de me olhar e estava com uma cara mais relachada com um certo ar de safado. Comemos e Ítalo me chamou para jogarmos vídeo game. Ítalo subiu e eu fiquei na cozinha com a desculpa de beber água e ir ao banheiro. Diogo assim que Ítalo saiu da cozinha me agarrou por traz, me encochou novamente colocou a mão dentro do meu short e pegou firme em meu pau e perguntou?

_ E ai gostou do meu garoto?

_ sim muito

_ acha que consegue?

_ Não sei, ele tem namorada...

_ eu era casado e pegava machos e percebi que ele não tira os olhos dessa bunda gostosa.

Falou isso pressionando seu cacete duro em minha bunda

_ vou me esforçar

_ vai la safado

Falou e deu um tapinha em minha bunda, subi e encontrei Ítalo na porta do quarto.

_ Demorou, já estava indo te buscar.

_ já estou aqui vamos jogar?

Entrei e Ítalo não me deu espaço, passei meio que esfregando em seu corpo, durante o jogo, gritávamos, xingávamos um ao outro, começamos a empurrar. Aquilo começou a ficar mais intenso, as coisas que falávamos mais obscenas, mais toques, chupaaa, pega aqui, seu viado, caralhoo, tomaaaa, a vai tomar no seu cu. Tudo isso de brincadeira, mas percebi que Ítalo estava excitado e pegando muito em seu pau que já estava com um bom volume ate porque estava sem cueca estavamos so com os calções. Levantei disse que ia ao banheiro, na volta quando entrei tropecei no fio do vídeo game e Ítalo me pegou estremeci sentindo seus braços fortes, seu cheiro e aquele peito perto de mim, mas Ítalo não me soltou, agradeci e tentei me soltar, Ítalo me segurou mais forte.

_ há é quer brincar?

E começamos uma espécie de luta eu tentando sair e Ítalo me segurando, me virou de costas e começou a me tocar minha bunda com seu cacete duro e sussurrou em meu ouvido

_ Ta gostando do meu caralho no seu rabinho?

Parei meio assustado, e disse

_ Que isso cara ta me estranhado, me larga?

_ To não viado safado, to te sacando desde o vestiário, tu gosta e de rola no cu que eu sei e parece que andou liberando para meu pai.

Gelei

_ Ficou louco cara de onde tirou isso?

_ Eu vi o coroa te encochando na cozinha, liberou ou não pra ele? Não interessa to na seca a uma semana e ainda ontem aquela vadia brigou comigo e quem vai me aliviar vai ser você.

_ Não, para Ítalo!

Fazia um pouco de doce, Ítalo me empurrou e cai de bunda para cima na cama e antes de sai da posição ele veio e grudou em mim abaixando o meu calção e já posicionando sua rola no meu buraco, colocou a cabecinha na entrada e empurrou enfiando lá dentro ate senti suas bolas. Segurou minha cintura e começou a meter com força. Delicia aquele jeito bruto, eu gemia e pedia mais, Ítalo senta na cama e me puxa me fazendo sentar em seu cacete, subo e desço sentindo cada pedacinho de sua rola comprida em meu rabo. De repente a porta do quarto se abre é Diogo que ouviu nossos gemidos e veio participar, Tirou seu pau da boca e me pos para chupar.

_ Isso coroa vamos comer esse viado safado!

Estava curtindo muito ser enrabado por Ítalo e chupar Diogo, Ítalo gozou em meu cu e Diogo em minha boca, Ítalo me puxou e me beijou na boca sentindo o gosto da porra de seu pai.

_ Esse é meu filho, vem cá vem filhão puto mama aqui seu velho, sente o sabor da minha porra direto da fonte.

Ítalo pegou no cacete do pai e colocou na boca, enquanto eu beijava e lambia suas costas suadas, e fui descendo abri suas nádegas e enfiei minha língua bem no fundo do seu cu, Ítalo soltou um hurro e voltou a chupar o pai. Tirei e coloquei minha língua em seu cuzinho deixando bem babado, coloquei um dedo e comecei a brincar com seu buraquinho fazendo movimentos circulares e de vai e vem coloquei 2, 3, 4 dedos e me posicionei colocando minha rola na portinha do seu cu. Ítalo gritou

_ Não, no meu cuzinho não

Mas estava com um tezão louco que nem liguei e cravei tudo de uma so vez. Ítalo soltou um berro abafado por um beijo de seu pai.

_ Quem é o viado agora hem?

Dizendo isso comecei a mecher, metendo em um vai e vem ritmado. Ítalo foi relaxando e começou a rebolar

_ Fdp, mete no meu rabo caralho, arromba meu cu!

Não fiz cerimônia e aumentei a velocidade, cuzão gostoso peludo feito o do pai mas mais apertado. Inundei aquele rabo de porra deixando Ítalo alucinado e com mais tezão. Diogo vendo o cacete do filho tezo pegou deu uma chupada e ofereceu seu cu, Ítalo sentou e Diogo começou a cavalgar, quando meu pai chega e entra no quarto.

_ O que o senhor esta fazendo aqui?

Perguntei sem entender.

_ Diogo me ligou vim o mais rápido que pude.

Disse meu pai tirando a roupa e me puxando para um beijo

_ Vem para a festa Mauricio e você também Dinho.

Nos chamou Diogo

_ Que delicia filho comendo o pai

Disse meu pai aproximando de Diogo pegando seu pau e chupando, ofereci meu pau para diogo que começou a me mamar.

Ítalo Gozou no cu do pai, Diogo quis comer meu pai que ficou na posição de frango assado, Ítalo deu seu caralho para meu pai o chupar enquanto me mamava.

A putaria rolou ate tarde um comendo o outro se chupando em todas as posições. Eu e Diogo comemos nossos pais depois eu comi o pai de Ítalo e ele o meu, invertemos e Diogo e meu pai Mauricio, comeram Ítalo e eu e depois Meu pai me comeu e Diogo comeu seu filho. Teve um momento que foi espetacular eu e Ítalo fazíamos um 69 chupando um o pau do outro enquanto nossos respectivos pais nos comiam e se beijavam. Caímos na cama e descansamos um pouco suados, cheios de porra, exaustos, mas super felizes. A partir deste dia direto nos tranzavamos todos juntos ou não. Diogo ate hoje não se casou novamente, Ítalo esta noivo geralmente me come e depois vai correndo comer Gabriela, meu pai continua casado com minha mãe que nem desconfia e quase toda noite ele me come no meu quarto, de vez em quando arrumo uma namoradinha, mas gosto mesmo e da suruba que fazemos eu, meu pai, Diogo e Ítalo.

 

Autor: Mrpr2

Deixe seu comentario

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário