Apaixonadamente seu - 6 - Revelações

Apaixonadamente seu - 6 - Revelações

Antes de continuar vou dar uma pequena relembrada nos fatos:

Meu nome é Armando sempre fui apaixonado por Henrique que ate seu acidente nunca havia me dado atenção, devido a isto me envolvi com Eliot que se apresentou como alguém que eu pudesse me interessar mas que acabou mostrando sua verdadeira face violenta. Ao prestar auxilio a Henrique finalmente fui notado por ele, mas descartado após sua recuperação e trocado por Ângela por achar melhor não se assumir homossexual. Com o afastamento de Henrique me dediquei ao trabalho e conheci Álvaro que se tornou um amigo, porem não sabia do meu lado homossexual que esta prestes a ser revelado depois que Álvaro me ajudou em um ataque de Eliot. Após Eliot fugir Álvaro começa uma serie de perguntas:

... Álvaro me perguntou se estava tudo bem, o que estava acontecendo, quem era aquele cara, porque estava me dizendo aquelas coisas e porque estava me agarrando.

- Isto é uma longa historia e não estou com cabeça para te contar agora, prometo te contar depois. Vem vou te levar em casa e fazer uns curativos.

Meio relutante Álvaro aceitou, elogiou a casa tomou um banho e depois eu fiz alguns curativos enquanto eu tomava banho Álvaro conversava comigo do lado de fora do banheiro com a porta trancada. Quando cheguei na sala após colocar minha roupa fui surpreendido com a campainha pensei que era Eliot fiquei assustado com o coração acelerado.

_ O que foi?

_ Pode ser o Eliot.

_ Fique calmo provavelmente é a pizza que pedi.

Alvaro ainda sem camisa foi tranquilamente ate a porta e a abriu, finalmente pude respirar tranquilamente, pois realmente era o entregador de pizza. Comemos e Álvaro com seu jeito alegre me fazendo rir de suas piadas e historias que em si não tinham graça, mas que me faziam rir por seu modo de contar. Ja estava tarde ele então se levanta, caminha ate a porta, quando se despediu de mim apertando minha mão me e disse que minha mão estava gelada e eu estava tremendo, disse que só estava um pouco assustado, mas ficaria bem. Álvaro disse que iria passar a noite em minha casa seria melhor coisa a se fazer disse que não era necessário, mas insistiu ligou para sua casa avisando que dormiria fora, arrumei um colchão na sala trouxe coberta e travesseiro e fui para minha cama. Demorei a dormir, mas finalmente consegui.

Estava dormindo quando sinto uma mão em minhas costas quentinha macia, subindo e descendo estava tão gostoso então abro os olhos e de imediato um dedo é colocado em minha boca com um barulho simmmm para que eu não dissesse nada em seguida sou beijado delicadamente enquanto me viro e me ajeito nu na cama. Álvaro me abraça e diz em sussurrando em meus ouvidos que estava tudo bem e que nada de mal me aconteceria daquele momento em diante que eu seria seu e ele meu. Volta a me beijar acariciando minhas costas, me vira na cama de modo que fico com a barriga para baixo, Álvaro beija minha nuca e vem beijando toda minhas costas ate chegar em minha bunda que é massageada por suas mãos grandes, macias e quentes, meu amigo separa minhas nádegas e começa a lamber e a enfiar sua língua em meu ânus me dando muito prazer, lambe suga enfia a língua babando lubrificando meu orifício e em seguida com seu corpo em cima do meu me penetra com seu membro gostoso, rígido e quente, começa lento mas vai acelerando aos poucos me dando mais e mais prazer a cada estocada alem de seus beijos e lambidas em minha nuca e minha orelha, Após algum tempo Álvaro se ajoelha na cama e me coloca de quatro segura em minha cintura e mete forte e rápido me dando muito prazer. Após tanta meteção e gozar em meu rabo chupo seu cacete e o faço gozar novamente desta vez em minha boca.

Acordo no dia seguinte na cama sozinho e vejo que estou com a cueca e a camisa que estava quando fui deitar e percebo que tudo tinha sido apenas um sonho, será que o encontro com Eliot também? Pensei e fui correndo para a sala, chegando la percebi que apenas a transa tinha sido um sonho Álvaro estava dormindo em minha sala com os curativos que eu tinha feito, fiz o café e fomos para o trabalho.

 

Eu estava trabalhando quando Alvaro chega perto de minha mesa e fica parado com cara fechada diante de mim.

_ Aconteceu algo?

_ È verdade oque estão dizendo por ai?

_ O que? O que estão dizendo por ai?

_ Que aquele cara o tal de Eliot é seu namorado?

_ Não! Quer dizer fomos namorados, mas já terminamos a algum tempo e...

Alvaro mordendo os lábios passa a mão no rosto subindo para o cabelo olha para um lado e para o outro nitidamente nervoso, sem jeito.

_ Nunca passou pela sua cabeça em me dizer que você é gay?

_ O que? Porque? O que isso tem haver Alvaro?

_ Estão pensando que estou todo fudido quer dizer todo machucado porque eu estava brigando por sua causa.

_ O que como assim? Esta dizendo que estão pensando que a gente...

_ Isso mesmo estão pensando que nos temos um caso e que eu estava brigando por você.

_ Olha Alvaro me desculpe eu nunca pensei que isso fosse acontecer, eu tento manter minha vida sexual discreta, não por vergonha por ser homo, mas justamente para evitar este tipo de conversinha e nunca tinha me atrapalhado nunca minha vida privada tinha interferido em nada na minha vida.

_ Nada? Isso aqui é nada?

Disse Alvaro mostrando os hematomas.

_ Estou me sentindo um idiota! Pensei estar te ajudando de um louco, mas era apenas uma briguinha de namoradinhos.

_ Não Alvaro não era uma briguinha, ele estava descontrolado e nem sei o que poderia ter acontecido comigo se você não tivesse intervindo. Além disso nos não estamos mais juntos e...

_ Quer saber? Fique longe de mim acho que será melhor para nos dois!

_ Mas Alvaro!

Alvaro virou as costas e saiu, ele estava nervoso, suando muito. Passou dias sem falar comigo, mas sempre me olhando disfarçadamente. Estava um clima chato, muito ruim no trabalho, era nítido que Álvaro queria falar comigo, mas ele se recusava. Ainda assim não deixei de auxilia-lo sempre que eu percebia que ele precisava de ajuda, ou que alguém me dizia que ele precisava la estava eu, sem falar nada ou apenas o necessário mostrava como fazer e voltava para meu trabalho.

No Sabado reunimos uma turma do trabalho e fomos para uma boate, Flavia me disse que Eliot foi internado em uma clinica de recuperação para alcoólatras. fui pegar uma bebida e de repente Henrique e Ângela chegam.

_ A não ele estava tão bem.

Diz Flavia minha amiga a anos.

_ O que aconteceu?

Pergunta Álvaro.

_ Desculpe so pensei alto deixa para la.

_ Que isso Flavia pode dizer o que aconteceu?

_ Nada é sobre o Armando e sei que vocês não estão se falando então...

_ Flavia....

_ Ok tudo bem, você já sabe de parte da historia mesmo, então la vai. Aquele é o Henrique a paixão insuperável do Armando, tanto lugar para ir ele tinha que aparecer com essa vagaba logo aqui? Olha a carinha dele, estava tão mais tranqüilo agora já esta com cara de choro.

_ Eu vou la.

_ Não, o que você vai fazer Álvaro?

Álvaro chegou me colocando a mão na cintura me perguntando se eu tinha conseguido, achei estranho sua atitude e olhei em seus olhos e ele com um lindo sorriso antes que eu dissesse algo me perguntou quem são seus amigos?

_ Este é Henrique e esta é a sua...

_ Namorada, eu sou Ângela a namorada do Henrique muito prazer.

_ O prazer é meu eu sou o Álvaro.

Disse Álvaro me trazendo para mais próximo do seu corpo me abraçando com um braço e apertando a mão de Ângela com a outra. O casal entrou então perguntei no ouvido de Álvaro:

_ Enlouqueceu? O que esta fazendo?

_ Calma estou so ajudando um amigo. Fiquei sabendo que esse ai é um tremendo de um otario e detesto caras assim, por falar nisso, me desculpa pela forma que andei agindo, pelas coisas que eu disse.

_ tudo bem eu compreendo, mas eles vão achar que você, que nos estamos juntos.

_ Acha mesmo? È esta a idéia.

_ Acho que você não entendeu se você é meu "namorado" significa que você é gay Álvaro e você não é nem uma coisa nem outra.

_ É, mas eles não sabem disso, alem do mais só vou te ajudar um pouco estou te devendo isso depois de tudo que eu te disse.

_ Só não quero prejudicar você, vai perder toda a noite como vai encontrar alguma mulher fingindo ser meu namorado?

_ Relaxa sei o que estou fazendo.

 

A noite correu, no incio fiquei tenso com a situação, mas depois relaxei como Álvaro me pediu, fomos dançar e ele bem ousado se esfregava em mim bem na cara do Henrique que no começo fez que não estava nem prestando a tenção mas depois vi que ele tinha se irritado.

_ O que esta fazendo Alvaro?

_ Dançando porque? Esta tão ruim assim?

_ Não é isso é que...

_ Relaxa, já disse para não se preocupar que sei o que estou fazendo!

Disse alvaro me curvando vindo com seu corpo por cima de mim com seu rosto pertinho do meu quase me beijando. Seu perfume invadia minhas narinas, seu sorriso era contagiante, seu jeito de me tocar de me conduzir. Aquilo estava mexendo comigo e eu não sabia como lidar com aquilo. Depois da dança fui ao banheiro e logo em seguida Henrique entra e para no miquitorio ao meu lado.

_ Parece que a fila andou ne?

_ Não sei do que esta falando Henrique.

_ Estou falando daquela cena la na pista da boate.

_ Não sei de cena alguma, eu estava apenas dançando com um amigo.

_ Se esfregando daquele jeito imagina quando estão sozinhos.

_ É mesmo imagina...

_ Algum problema Armando?

Disse Álvaro entrando no banheiro

_ Você demorou fiquei preocupado.

_ Amigo dedicado hem?

Alfinetou Henrique.

_ Você nem imagina o quanto!

Disse Alvaro.

_ Já estava saindo vai usar o banheiro?

_ Sim, te encontro na mesa.

Sai do banheiro deixando Henrique e Álvaro la. Enquanto saia ouvi um pouco da conversa dos dois.

_ Sua namorada é muito bonita.

_ Obrigado, o seu também.

 

 

Continua...

Autor: Mrpr2