Apaixonadamente seu - 9-De volta em casa

Apaixonadamente seu - 9-De volta em casa

_ Ei tudo bem ai?

Disse Flavia abrindo a porta e colocando a cabeça para dentro do quarto. Álvaro se levanta e diz para ela entrar e diz que vai tomar agua me da um beijo no rosto e saiu com os olhos cheios de lagrima. Flavia entra e diz:

_ E ai como esta?

_ Muito dolorido, mas feliz por não ter acontecido nada de mais grave e assustado com o Eliot.

_ Difícil esta situação com ele e o Álvaro ficou transtornado quando te viu no chão, não queria sair de perto de você em nenhum momento veio com a ambulância e tudo.

_ Ele é muito especial.

_ Talvez... Talvez eu estivesse errada sabe, talvez seja melhor vocês dois...

Batidas na porta que lentamente foi se abrindo então uma cabeça surge dentro do quarto

_ Henrique...

Flavia olhou para mim, olhou de volta para Henrique e disse:

_ Vou deixar vocês a sos.

Com um enorme sorriso Henrique se aproximou e perguntou:

_ Posso me sentar aqui junto com você?

_ Pode, pode sim.

_ Que bom te ver assim bem, fiquei preocupado, eu vi o que aconteceu.

_ Você estava la?

_ Na verdade quando eu vi você já estava no chão me assustei minha intenção era ir la te socorrer, mas a policia já estava la tentando segurar aquele seu ex enquanto o seu amigo e a Flavia estavam com você achei por bem não tumultuar mais logo a ambulância chegouentão foi so falar com uma amiga da minha mãe que trabalha aqui e aguardar, assim que soube que você estava recebendo visitas eu vim.

_ Obrigado!

_ Quero retribuir o que você fez por mim, sei que fui um canalha com você, mas agora eu quero me redimir, quero cuidar de você como você cuidou de mim.

Neste momento Alvaro entra no quarto, Flavia entra logo atrás em seguida vendo Henrique sentado ao meu lado na cama Alvaro franze a testa, para um pouco e me pergunta como estou, digo que estou melhorando ele diz que mais tarde me mandara mensagem e se despede de onde esta mesmo me desejando melhoras se vira e vai saindo Flavia pede para que ele a espere na porta do hospital, Álvaro apenas confirma com a cabeça e visivelmente abatido sai do quarto. Flavia com a cara fechada para Henrique diz:

Henrique preciso falar com o Armando.

_ Acabei de chegar e você já estava aqui antes de mim.

_ Para começo de conversa nem era para você ter vindo!

_ Eu conheço o Armando muito antes de você, além disso não é você quem decide se posso vim visita lo ou não.

_ Henrique agradeço sua visita, mas agora preciso falar com a Flavia se importa?

_ Ok, tudo bem, mas depois eu volto, fique bem, melhoras!

Diz Henrique me dando um beijo na testa, faz um carinho em meu rosto e encarando Flavia sai do quarto. Flavia senta se ao meu lado respira fundo e diz:

_ Amigo que loucura é essa? Esse crápula quer o que com você? Pensei que iria apenas te desejar melhoras e ir embora ou você mesmo despacha lo como um cachorro que é o que ele é.

_ Ele veio pedir desculpas, quer morar comigo, cuidar de mim.

_ Essa é boa, precisamos conversar, viu como o Álvaro saiu?

_ Sim me deu um aperto aqui no peito.

_ Ótimo! Espero que se lembre do que ele fez e não caia novamente em seus encantos. Eu não iria te dizer isso agora, mas acho melhor você saber toda a verdade agora...

Após um tempo de conversa o medico entra no quarto e diz que no outro dia eu teria alta se tudo continuasse progredindo bem.

Flavia pede a chave da minha casa dizendo que ira arrumar tudo para minha chegada. No outro dia Henrique chega junto com o medico que me da alta eu estou me arrumando quando Álvaro chega.

_ Fiquei sabendo da ótima noticia vim te levar para casa.

Diz Álvaro.

_ Não precisa se incomodar eu vou leva lo no momento estou desempregado mesmo, já você deveria estar no trabalho não?

Responde Henrique.

_ Alguém tem que trabalhar para esse pais seguir enfrente não é? Mas pode ficar tranquilo que meu encarregado me liberou para dar uma mão para o Armando.

_ Muito obrigado Álvaro e onde esta a Flavia?

_ No trabalho ela tinha algumas coisas para resolver, mas nos já organizamos tudo o que você precisa na sua casa.

Álvaro me levou para casa, mas Henrique foi junto no banco de trás. No trajeto ate minha casa como fleches lembranças de momentos com Henrique e também com Álvaro passavam em minha mente.

Álvaro fez um chá e ficamos nos três na sala assistindo a um filme, as vezes os dois se encaravam com semblante de quem iriam travar uma batalha ali mesmo no meio de minha sala ate que Álvaro disse que iria ir embora.

_ Bom sabe como gosto de sua companhia, mas amanha preciso agilizar algumas coisas logo cedo no escritório.

_ Claro eu entendo e agradeço muito você ter vindo me trazer hoje.

_ Estarei sempre disponível para você é só chamar. E você não vai embora?

_ Não, amanhã não tenho nada para fazer de importante mesmo a não ser cuidar do Armando.

_ O Armando precisa descansar.

Insistiu Álvaro para Henrique com um semblante serio.

_ Vou cuidar para que ele descanse!

Provocou Henrique com seu ar debochado.

_ Não precisa ficar aqui Henrique pode ir.

Se precisar eu chamo a Flavia para dormir aqui comigo ela mora logo ali e acabou de me mandar mensagem dizendo que esta a disposição caso eu precise de algo.

_ Tudo bem amanha eu volto.

Os dois se encaminharam para a porta, mas de repente Henrique se lembrou de sua jaqueta.

_ Acho que deixou la no meu quarto.

_ Vou la buscar.

Alvaro se foi e quando Henrique voltou na sala se aproximou de mim e disse:

_ Tem certeza que não prefere que eu durma aqui?

_ Tenho

_ Tem mesmo?

Disse Henrique se aproximando para me beijar a boca.

Continua...

Autor: Mrpr2